CNTA apresenta propostas para aperfeiçoamento das planilhas do Piso Mínimo do Frete

 

My Image

 

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) realizou no dia 23 de maio, a última sessão presencial da audiência pública que teve objetivo de estabelecer as regras gerais, a metodologia e os indicadores das planilhas do Piso Mínimo do Frete elaborada pela ESALQ.

A Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA), contratou um profissional especializado em infraestrutura rodoviária para auxiliá-la na avaliação do estudo proposto pela ESALQ e no levantamento de contribuições para aperfeiçoamento do mesmo.

A confederação protocolou seu levantamento completo dentro do prazo anunciado pela ANTT, mas também apresentou suas sugestões durante a sessão presencial em Brasília, através do engenheiro e consultor contratado, Antônio Lauro Valdívia.

Confira as principais propostas apresentadas para aperfeiçoamento das planilhas:

 

Item de Custo

Proposta de alteração

Resultado em relação a proposta da ESALQ

Vida útil do veículo

Adoção da idade média superior a proposta (por exemplo a média do RNTRC)

Redução do valor do Piso proposto em 2,0%

Risco de acidentes e roubos

Ampliar o valor coberto para todo o conjunto, incluindo o semirreboque

Aumento do valor do Piso proposto em 1,2%

Combustível

Redução do consumo médio em pelo menos 10%

Aumento do valor do Piso proposto em 3,7%

Pneus e recapagens

Passar o média de recapagens por pneu para 2,0

Redução do valor do Piso proposto em 0,8%

Velocidade média

Reduzir a velocidade média para 50 km/h dos veículos com até 4 eixos e 55 km/h para os demais

Aumento do valor do Piso proposto em 6,0%

Dias trabalhados por mês

Redução dos dias trabalhados no mês para 18 dias

Aumento do valor do Piso proposto em 5,5%

Diária de Alimentação e Pernoite

 

Inclusão de um valor para cobrir os custos mínimos de alimentação e pernoite do motorista: algo como R$ 70,00.

Aumento do valor do Piso proposto em 5,5%